sexta-feira, 29 de maio de 2009

Projeto mobiliza juventude em defesa das águas de Minas

Um ato simbólico marcou o lançamento do projeto “A Terceira Margem do Rio - a juventude pelas águas de Minas, nessa quinta-feira (28), em Ouro Preto. No Parque Natural Municipal das Andorinhas, onde está localizada a nascente do Rio das Velhas, o coordenador Especial da Juventude da Secretaria de Estado de Esportes e da Juventude (Seej), Roberto Tross, o prefeito de Ouro Preto, Angelo Oswaldo de Araújo Santos, e o membro do Coletivo Jovem de Meio Ambiente de Minas Gerais, Alexandre Andrade, plantaram uma muda de ipê rosa, para demonstrar a importância de ações cidadãs conjuntas para revitalização do rio e melhoria da qualidade de vida da comunidade.

O projeto é desenvolvido pela Secretaria de Estado de Esportes e da Juventude, por meio da Coordenadoria Especial da Juventude, em parceria com a ONG Leão e o Coletivo Jovem pelo Meio Ambiente de Minas Gerais, e tem por finalidade promover a utilização racional dos recursos naturais e contribuir para a construção de sociedades sustentáveis através de oficinas temáticas locais

A solenidade de lançamento se estendeu ao auditório da prefeitura, onde gestores públicos dos municípios que compreendem o município da Bacia do Alto Rio das Velhas assinaram um Protocolo de Intenções, sinalizando o interesse das respectivas prefeituras em apoiar o projeto. O protocolo também foi assinado por representantes da Vale, da RDM Manganês e da Samarco.

Para o coordenador Roberto Tross, esse projeto será mais uma ferramenta representantiva da força da juventude como mobilizadora e transformadora social. “O jovem é essa terceira margem, é esse outro lado do rio, e através dele as águas de Minas poderão ficar mais limpas, mais saudáveis. Através da juventude avançaremos na consciência cidadã, no consumo consciente, na preservação e na vida. É Minas avançando com a juventude”.

Oficinas

A capacitação prevê, para este primeiro ano de trabalho, a capacitação de 500 jovens, entre 15 e 29 anos, dos municípios da Bacia do Alto Rio das Velhas- Belo Horizonte, Contagem, Caeté, Nova Lima, Raposos, Rio Acima, Sabará, Santa Luzia, Itabirito e Ouro Preto.

O membro do Coletivo Jovem de Meio Ambiente, Alexandre Andrade, será um dos oficineiros do projeto e disse sobre a dinâmica transformadora dessa ação. “Esses jovens vão aprender valores socioambientais e atuação cidadã. Será despertado entre eles a importância de atitudes básicas e cotidianas, mas que fazem todo a diferença, como fechar a torneira ao escovar os dentes ou ao se ensaboar durante o banho”, explicou o jovem. Ele conta que os jovens vão saber como aplicar os 5 rs no dia-a-dia . “Repensar, recusar, reaproveitar, reutilizar e reciclar. Essas palavras são chaves quando tratamos de atitudes socioambientais. Será que preciso realmente comprar aquilo? Esse produto que utilizo tem certificado ISSO 14.000? É feito por mã-de-obra escrava? Aquela calça velha pode se transformar numa carteira, numa bermuda, numa doação a quem precisa? Esses são questionamentos simples, que podem fazer toda a diferença e transformar a realidade do jovem, de sua comunidade e dos rios’, conta Alexandre.

As primeiras oficinas acontecerão neste sábado (30) e no próximo (6), em Ouro Preto, na Escola Estadual Dom Pedro II (Rua Senador Rocha Lagoa- conhecida como rua das flores, s/n°, Centro,). São oferecidas 50 vagas para jovens moradores da cidade. A inscrição já está sendo feita na Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Rua Xavier da Veiga, 501, Centro).

As próximas oficinas acontecerão em Itabirito (20 e 27/06); em Rio Acima (04 e 11/07), Nova Lima (1 e 08/08), Raposos (22 e 29/08), em Caeté (12 e 19/09), Sabará (26/09 e 03/10), em Belo Horizonte (24/10 e 07/11), Santa Luzia (14/11 e 21/11) e Contagem (28/11 e 05/12)..

Para participar, os jovens devem procurar órgãos municipais relacionados com a política pública de juventude ou meio ambiente, para preencher a ficha de inscrição.

As atividades serão divididas em quatro temas: “Oficina de Futuro”, que ensinará a construir projetos coletivos, com diagnóstico dos problemas e planejamento de ações sustentáveis para melhoria da qualidade de vida da comunidade; “Oficina de Educação Ambiental”, para promover a reflexão sobre atitudes corretas do dia-a-dia e desenvolver ações nas comunidades baseadas em valores socioambientais; “Oficina de Participação Política”, cujo objetivo é o de apresentar políticas públicas para a juventude e meio ambiente; e “Oficina de Educomunicação”, que propõe despertar o lado criativo dos jovens. Esta última oficina será um espaço de comunicação entre os jovens, com linguagem específica, e tratará de ações locais de meio-ambiente e sustentabilidade.

Informações pelo telefone (31) 3349-2778 ou pelo e-mail dirproj@juventude.mg.gov.br

Governo de Minas e Google Brasil

Acordo é inédito no país e dará a 2,65 milhões estudantes
e professores acesso a ferramentas da internet
O governador de Minas Gerais, Aécio Neves, e Alexandre Hohagen, diretor-geral da Google para a América Latina, assinam nesta segunda-feira (01/02), protocolo de intenções que vai permitir a utilização gratuita de um conjunto de softwares oferecidos pela Google Inc., via Internet, a todos os 2,5 milhões de alunos e 165 mil professores de todas escolas da rede pública estadual. É a primeira vez que a empresa norte-americana assina convênio desse tipo com um governo no Brasil. A celebração se dará durante a visita dos executivos do buscador ao Palácio da Liberdade e que conta com a participação do vice-presidente mundial da Google, Vint Cerf, cientista que inventou o protocolo TCP/IP responsável pela comunicação entre computadores.

O acordo pioneiro com a Google Brasil é uma importante ação do Governo de Minas para promover a inclusão digital dos alunos da rede pública de ensino e de popularização do uso da internet em todo o Estado. Com este convênio, todos os professores e alunos das 3.920 escolas estaduais terão acesso ao Google Apps Education Edition, conjunto de softwares que inclui serviços de e-mail, mensageiro digital instantâneo, agendas digitais compartilhadas, editor de textos e planilhas, além de editor de páginas de Web.

A parceria ainda prevê suporte técnico para usuários, estudantes e professores, pela comunidade de suporte on-line, moderada pela Google. Todas as ferramentas disponibilizadas pela empresa poderão ser utilizadas em conjunto com sistemas desenvolvidos por outras empresas da área de tecnologia.

A Secretaria de Estado de Educação coordenará programas de treinamento para professores, funcionários e alunos aprenderem a utilizar as novas ferramentas no ambiente educacional. O sistema de buscas poderá auxiliar os alunos em pesquisas escolares e a ferramenta de criação de sites poderá ser usada nas escolas para divulgação de conteúdos e informações de interesse de suas comunidades.

Ferramentas oferecidas a estudantes e professores

Google Docs – editores de textos, de planilhas de cálculo e de apresentações, além de compartilhamento e colaboração desses conteúdos em tempo real em uma janela do navegador da web.

Google Sites – editor de páginas da web de forma rápida e fácil. Permite criar páginas na internet.

Opções de suporte 24 horas – acesso a um fórum online de usuários que se auto-ajudam na busca de soluções para dúvidas. A moderação é feita pela Google, que acompanha as conversas e discussões e presta orientações.

APIs (Application Programming Interfaces) – é uma ferramenta capaz de unir a interface de um programa Google com outros programas (softwares) criados por outras empresas de tecnologia para web.

Gmail – email com 7 gigabytes de armazenamento para cada professor, funcionário e aluno da rede pública estadual, com ferramentas de pesquisa para ajudar na busca de informações, além de ferramentas de mensagens instantâneas e agenda integradas à interface de email.

Google Talk – mensagens instantâneas de texto, a qualquer momento e em qualquer lugar do mundo. Também estão incluídos os recursos de compartilhamento e de mensagem de voz.

Google Calendar – uma agenda online que possibilita a organização de compromissos - eventos, reuniões, etc. Permite publicar agendas e eventos na internet, inclusive de maneira compartilhada com outros usuários.

Galeria de Soluções – Catálogo de aplicações, gratuitas ou não, à disposição dos usuários, integrando-as ao ambiente educacional da Google (Google Apps Education Edition), que reúne todo o conjunto de ferramentas acima descritas.

Entrevista do governador Aécio Neves e o prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda


Entrevista do governador Aécio Neves e o prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda


Sobre a expectativa de Belo Horizonte ser uma das sedes da Copa do Mundo.
Estou absolutamente confiante. Minas e sua capital serão uma das sedes. Nós temos que trabalhar e falamos um pouco sobre isso aqui, já a partir desta semana, com a formalização do anúncio, em duas frentes. Uma interna, com a criação de uma comissão responsável exclusivamente pela preparação da cidade, tanto na estrutura do Mineirão e do seu entorno, quanto nas questões de acesso, de logística. A outra vertente é essa que o prefeito já tem tratado, e estarei a seu lado tratando, que é junto ao Governo Federal, naquilo que se chama de PAC da mobilidade, nos financiamentos que nós esperamos poder ter, que inclui o metrô e outros investimentos importantes.
Então é a organização interna, processo licitatório para reforma do Mineirão, estacionamento, serviços que vão ser levados para aquela região, e isso nós vamos cuidar aqui; e outra que é essa das parcerias com o Governo Federal, mas o prefeito se adiantou, teve várias conversas com a ministra Dilma, com o Ministério das Cidades, e as coisas estão caminhando bem.
Acho que Belo Horizonte está adiantada em relação a outros estados. A nossa ideia continua sendo a de fechar o Mineirão no final deste ano, após o último jogo do Campeonato Brasileiro, e a partir daí, nós teremos dois anos com o Mineirão em obras, para que ele possa ser apresentado antes do período da Copa das Confederações, que antecede a Copa do Mundo, no final de 2012, para que em 2013 ele esteja já em condições até mesmo de sediar jogos da Copa das Confederações. Então nosso cronograma está mantido, e domingo vai ser uma grande festa da confirmação de Belo Horizonte, depois de 60 anos.

Governador, ontem o senhor falou que está buscando aliados do presidente Lula, que eventualmente podem não fechar com o PT no ano que vem. O Lacerda é uma liderança do PSB, o senhor conversou a respeito de um eventual apoio do PSB ao PSDB na eleição?
Não, nem precisa, tenho uma proximidade enorme com o prefeito Marcio Lacerda, e ele seguirá o caminho do seu partido. Não há porque precipitar esse processo. O que existe são negociações em nível nacional, com as direções nacionais de vários partidos, absolutamente naturais. Aqui o PSB participa da base de sustentação do governo, tenho certeza que continuará participando. Vamos deixar que o PSB tome a sua decisão no campo nacional, para que o prefeito também possa ter o seu caminho.

A proposta para reeleição que vai ser apresentada por um deputado do PMDB, para um terceiro mandato também para governadores, o senhor se sentiria à vontade com esse possível terceiro mandato?
Não há hipótese disso ocorrer. Acho até que dois mandatos já é muito. Oito anos é um tempo muito extenso para se governar. Sou partidário da tese de mandato de cinco anos sem reeleição. Não acredito na aprovação dessa proposta, mas se aprovada, certamente no caso de Minas Gerais, nós teremos um outro candidato a governador. Não acho que seja bom nem para o país, nem para os estados, nós termos um tempo tão grande, de tão grande extensão, um só governante. A alternância do poder, mesmo que dentro de um partido, entre pessoas, é muito importante. Não há hipótese de eu querer disputar.

E a unificação das eleições, que também está sendo discutida?
São as alquimias do Congresso. Não acho que haja nem tempo hábil, nem clima para se falar em prorrogação de mandatos que viria com proposta de coincidências. Qualquer possibilidade de coincidência, na minha avaliação, só poderia vir com a alteração da duração dos mandatos a serem eleitos. Você sabendo, por exemplo, que está votando em alguém por seis anos, porque isso é proporcional, uma coincidência lá na frente, acho que aí sim é possível de ser discutido. Você, agora, alterar um mandato que tem um tempo definido de duração é um equívoco.
Olha, estou muito descrente da aprovação de qualquer capítulo da reforma política, pelo que conversei nos últimos dias no Congresso. Até num determinado momento achei que a questão da lista com financiamento público poderia avançar, conversei hoje mesmo com alguns líderes partidários, com o líder do meu partido, nem isso acredito que exista clima hoje para avançar no Congresso.

E a janela de seis meses?
Também não acredito que exista muito clima para isso. Sempre me fazem essa pergunta tentando entender de que forma isso afeta a minha vida. Posso dizer que não sei se o Congresso aprova, mas do meu ponto de vista pessoal, ela é absolutamente inócua, não altera em nada, porque estou e ficarei no PSDB.

Em 2014, quando acontece a Copa do Mundo, onde que o senhor gostaria de estar?
No Mineirão, vendo a abertura.

Mas em que cargo?
Na arquibancada.

O senhor acha que é possível que a abertura seja aqui?
Acho que é uma disputa que nós temos que fazer com seriedade, obviamente, respeitando o direito de outros estados buscarem isso. Existem outros que postulam. Mas o projeto que nós estamos fazendo aqui em parceria com a prefeitura e a grande vantagem nossa é que existe essa parceria muito bem ajustada, da Prefeitura de Belo Horizonte com o Governo do Estado, como houve com o Pimentel na gestão passada, essa parceria vai facilitar em muito essas nossas ações. Imagina se não houvesse essa parceria, essa facilidade de tomar decisões, se a avenida Antonio Carlos estaria avançando nessa velocidade que está hoje. Nós vimos aqui cerca de 40 projetos que serão lançados proximamente pelo prefeito, muitos deles em parceria com a Cemig, ou com a Copasa, com a área de habitação do Governo, na saúde, principalmente. Então existem muitas boas coisas que a parceria pode fazer. Entre elas criar as condições para que o Mineirão se apresente à Fifa com toda a infraestrutura necessária para pleitear a abertura.
Vou dizer o que eu intimamente, isso nem conversei ainda com o prefeito Marcio Lacerda, intimamente quero buscar, aí já não é com a Fifa, mas com o presidente Ricardo Teixeira, que é mineiro, para que Belo Horizonte possa ser a sede do Brasil nos jogos da primeira fase. Para que o Brasil possa jogar no Mineirão. A cidade de Belo Horizonte é uma cidade mais tranqüila do que as outras grandes capitais, que certamente postularão esse privilégio, acho que Belo Horizonte, pela localização, pelo que nós vamos fazer do ponto de vista da estrutura do estádio, de logística, até mesmo pela certa tranqüilidade que se possa aqui garantir para preservar a Seleção. Acho que Belo Horizonte poderia pleitear tranquilamente sediar os jogos no Brasil na primeira fase. Depois, obviamente, eles têm uma dinâmica própria, vão para alguns outros lugares. Então esse fica sendo o nosso objetivo. Agora é trabalhar, não perdermos os prazos, fazermos as licitações das obras, nós estamos com a Fundação Getúlio Vargas para fazer a coordenação final desse projeto, o professor Anastasia passa a coordenar, a partir da semana, uma comissão que terá uma representação do Estado e da Prefeitura, conjunta, e vamos tocar o barco. Acho que Belo Horizonte vai se colocar em condições de pleitear uma participação muito importante na Copa.


Marcio Lacerda

Prefeito, como vai ser a festa domingo?
Foi divulgada a programação, nós teremos um telão, um canal de esporte vai transmitir diretamente de Nassau, nas Bahamas, o anúncio das sedes, às 15h30. Vamos ter uma programação festiva que começa desde 1h da tarde, com shows, que se prolongará, a partir das 16h, com show do Patu Fu. Ali vai ser a festa da comemoração da escolha de Belo Horizonte, que tenho certeza ocorrerá.

Qual é o cronograma de obras que a prefeitura está se organizando para que a cidade tenha condições de atender as pessoas que venham assistir a Copa?
O principal, no caso da Copa, é a ligação entre o centro da cidade, o estádio e os aeroportos. Isso já está muito avançado, principalmente agora essa parceria forte do Estado com a Prefeitura na conclusão da duplicação da Antônio Carlos, o Estado entrando com R$ 180 milhões, um convênio que assinamos em janeiro, logo no início da nossa administração e com quatro viadutos, então já no começo do ano que vem teremos a duplicação da Antônio Carlos concluída, e os viadutos em andamento.
Nós teremos que duplicar a Pedro I e ter um corredor de ônibus ligando a Lagoinha até a MG-010 e consequentemente até Confins, até o Mineirão, até o Aeroporto da Pampulha.
E estamos trabalhando fortemente para a gente ter o metrô Savassi-Lagoinha, que é uma das nossas reivindicações junto ao Governo Federal. Então essa ligação centro-aeroporto-estádio é fundamental para o sucesso do empreendimento Copa em Belo Horizonte num alto nível.
A ampliação do aeroporto pela Infraero, que já está fazendo o projeto, ela estima gastar R$ 250 milhões até 2013 no Aeroporto de Confins, ampliação do terminal, ampliação da pista, da área de embarque e desembarque, e temos aí o capítulo dos hotéis. Nesse momento alguns grupos internacionais estão sondando Belo Horizonte, conversando com o Governo do Estado, Prefeitura, para virem para cá.
Acho que o momento está bom, estamos otimistas, esperançosos, como disse o governador é fundamental essa parceria entre Prefeitura e Estado, que já existe há vários anos, desde administração de Pimentel, que continua forte.

Quanto vocês pensam em gastar para ter essa infraestrutura em Belo Horizonte?
Nós estamos pleiteando do Governo Federal repasses não onerosos e financiamentos. Serão alguns bilhões de reais. Não sabemos quanto ainda. Depende, porque tem o projeto mínimo, que foi esse que falei. A duplicação da Antônio Carlos, Pedro I, implantação de corredor de ônibus avançado, com estações de pré-embarque, corredor de ônibus também na Amazonas, Pedro II, Catalão, Nossa Senhora do Carmo; então são corredores de ônibus, metrô, e duplicação do acesso do centro até a MG-010.

Mas desses recursos, o Governo Federal já garantiu algum?
Isso nós apresentamos junto com o Governo do Estado, um parceiro sempre freqüente nos projetos das vias, na viabilização da ideia do metrô, nós apresentamos as planilhas ao Ministério das Cidades, que tem levado à Casa Civil. Nós temos comparecido frequentemente em Brasília. Esperamos no decorrer do mês de junho que venha então essa decisão, que não pode demorar muito, porque as obras levam um tempo.


Aécio Neves

A última conversa que tivemos com o Governo Federal é de que logo após o anúncio, eles deflagrariam esse processo de definição dessas prioridades. E o prefeito apresentou aqui hoje um trabalho muito bem feito, onde ele apresenta o objetivo final, mais amplo, e aquilo que nós consideramos o mínimo razoável para que nós possamos ter esse acesso garantido.
Então nós queremos agora, pretendemos até marcar uma ida juntos a Brasília, para tanto conversarmos com a Infraero em relação a essa questão da ampliação dos terminais do aeroporto, que teria que começar rápido, quanto a esse projeto que a prefeitura detalhou de forma muito competente, que passa, inclusive, pela questão do metrô de Belo Horizonte.

Marcio Lacerda

Prefeito, o deputado Ciro Gomes já falou que não se candidata a presidente se o Aécio for candidato. O senhor pessoalmente está torcendo também para o Aécio vencer a batalha do PSDB?
Como disse o ministro Ciro Gomes, naquela oportunidade, foi lá na prefeitura, inclusive, que o governador Aécio representa uma possível contribuição de Minas dentro de uma linhagem política, de uma tradição política de busca de consenso, de unidade, de projeto nacional agregador, se o governador pudesse ser candidato, conseguir ganhar essa disputa no PSDB, que nós esperamos, acredito que seria um grande trunfo para o país, certamente.

Prefeito, sobre essa reunião que está tendo agora na prefeitura sobre o APA Sul, essa porta de acesso ao Belvedere, Nova Lima, como está esse projeto?
Na realidade, o projeto executivo não está 100% pronto ainda. Você sabe que é uma empresa empreendedora imobiliária de Nova Lima, que se encarregou desse projeto como medida compensatória. Está faltando algumas coisas. É um projeto para R$ 30 milhões, R$ 40 milhões, nós incluímos uma parte desse valor na proposta que levamos para Brasília, e conversando com os empreendedores, cerca de 20 empreendedores que estão com projetos imobiliários ali em Nova Lima, se cada um deles entrasse com R$ 1 milhão, nos ajudaria bastante a fazer esse projeto, e iria valorizar muito os empreendimentos deles.

Aécio Neves

A Assembleia aprovou o empréstimo do BID para o Proacesso?
É, foi uma aprovação extremamente importante, quero de público agradecer aos aliados do governo, mas também a compreensão da oposição, porque é algo que se coloca num patamar acima de questões partidárias ou disputas políticas.
Esse recurso, sobretudo num momento como esse de queda de arrecadação, é muito importante, o BID tem dado prioridade às questões de Minas, mas há uma demanda muito grande junto ao BID para novos financiamentos. Na conversa que tive com o ministro Guido Mantega, na semana passada, ele próprio nos alertava para essa demanda crescente, então nós não poderíamos perder tempo.
Vou pessoalmente a Washington (EUA) definir já com o presidente do BID, Luis Alberto Moreno, no próximo dia 9, se não me engano, o cronograma possível de liberação desses recursos. Nós estamos falando de cerca de US$ 260 milhões, então vamos falar em alguma coisa em torno de R$ 500 milhões a R$ 520 milhões, que vão permitir novos investimentos na qualificação da nossa malha viária, investimentos importantes também na área da saúde. Um conjunto de ações que esses recursos possibilitarão serem feitas e até mesmo suprindo a ausência de recursos orçamentários em razão da queda de arrecadação. Portanto, é muito importante e estratégico esse recurso e para que nós não percamos tempo, quero ir pessoalmente assinar e acertar com o presidente do BID essa liberação.
E aproveito no dia seguinte, fui convidado para também estar na Bolsa de Valores de Nova York, onde farei uma palestra para duas centenas de empresários interessados em investir em Minas Gerais, muitos ligados ao setor energético. Acho que é uma nova oportunidade de nesse momento de crise, nós vamos mostrar as potencialidades que Minas oferece e nós estaremos lá na Bolsa de Nova York também batendo o sino, fechando o pregão, já que a Cemig tem sido, do ponto de vista relativo, uma das mais importantes, senão a mais importante ação brasileira naquela bolsa.

Aécio Neves confirma cronograma de reforma do Mineirão e luta de Minas Gerais para sediar partidas da Seleção Brasileira na Copa de 2014


Após reunião com o prefeito de Belo Horizonte, governador anunciou criação de comissão especial
para tratar de conjunto de obras na capital, caso esta seja anunciada como uma das sedes da Copa


O governador Aécio Neves anunciou, nesta quinta-feira (28/05), que levará à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) proposta para Minas Gerais ser a sede das partidas da Seleção Brasileira na primeira fase da Copa de 2014. O anúncio foi feito após reunião com o prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda, no Palácio das Mangabeiras. Durante o encontro, eles discutiram projetos de modernização de infraestrutura viária e do Complexo Mineirão/Mineirinho, caso Belo Horizonte seja confirmada como uma das sedes da Copa de 2014. O anúncio das cidades escolhidas será feito neste domingo (31/05).
“Quero buscar, aí já não é com a Fifa, mas com o presidente Ricardo Teixeira, que é mineiro, para que Belo Horizonte possa ser a sede do Brasil nos jogos da primeira fase. Para que o Brasil possa jogar no Mineirão. Belo Horizonte é uma cidade mais tranqüila do que as outras grandes capitais que, certamente, postularão esse privilégio. Belo Horizonte, pela localização, pelo que vamos fazer do ponto de vista da estrutura do estádio, de logística, até mesmo pela certa tranquilidade que se possa aqui garantir para preservar a Seleção, poderia pleitear tranquilamente sediar os jogos no Brasil na primeira fase. Depois, obviamente, eles têm uma dinâmica própria, vão para alguns outros lugares. Então esse fica sendo o nosso objetivo”, disse Aécio Neves, em entrevista.

Comissão Especial
Segundo o governador, Belo Horizonte sendo confirmada como uma das sedes da Copa de 2014, Governo de Minas e a Prefeitura trabalharão em duas frentes para garantir parcerias nas obras de melhoria da infraestrutura viária da capital mineira e da modernização do Complexo Mineirão/Mineirinho.
Ele também anunciou que será criada uma comissão especial para planejar as ações em Minas Gerais, visando a Copa do Mundo. A comissão será coordenada pelo vice-governador Antonio Anastasia e terá representantes do Governo do Estado e da Prefeitura de Belo Horizonte.
“Temos que trabalhar, já a partir desta semana, com a formalização do anúncio, em duas frentes. Uma interna, com a criação de uma comissão responsável exclusivamente pela preparação da cidade, tanto na estrutura do Mineirão e do seu entorno, quanto nas questões de acesso, de logística. A outra vertente é essa que o prefeito já tem tratado, e estarei a seu lado tratando, que é junto ao Governo Federal, naquilo que se chama de PAC da mobilidade, nos financiamentos que esperamos poder ter, que inclui o metrô e outros investimentos importantes”, disse Aécio Neves.

Cronograma mantido
Segundo o governador, o cronograma para a reforma e modernização do Mineirão está mantido. No momento, a Secretaria de Estado de Esportes e da Juventude prepara o projeto de engenharia e reforma do estádio, para que, em seguida, seja aberta concorrência para a execução dos projetos. A expectativa é de que o Mineirão seja fechado para obras já no final de 2009, após o encerramento do Campeonato Brasileiro.
“Belo Horizonte está adiantada em relação a outros estados. A nossa ideia continua sendo a de fechar o Mineirão no final deste ano, após o último jogo do Campeonato Brasileiro. E a partir daí, teremos dois anos com o Mineirão em obras, para que ele possa ser apresentado antes do período da Copa das Confederações, que antecede a Copa do Mundo, no final de 2012. Para que em 2013, ele esteja já em condições até mesmo de sediar jogos da Copa das Confederações. Então nosso cronograma está mantido”, disse.

Obras
O prefeito Marcio Lacerda afirmou que Governo do Estado e a PBH também farão o planejamento conjunto para obras de melhoria da infraestrutura de transportes na capital mineira. Ele destacou a conclusão do alargamento da avenida Antônio Carlos, a duplicação da avenida Pedro I, a ampliação do metrô e do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, como as principais metas a serem alcançadas.
“O principal, no caso da Copa, é a ligação entre o centro da cidade, o estádio e os aeroportos. Isso já está muito avançado, principalmente agora com essa parceria forte do Estado com a Prefeitura na conclusão da duplicação da Antônio Carlos, o Estado entrando com R$ 180 milhões. Teremos que duplicar a Pedro I e ter um corredor de ônibus ligando a Lagoinha até a MG-010 e consequentemente até Confins, até o Mineirão, até o Aeroporto da Pampulha. E estamos trabalhando fortemente para ter o metrô Savassi-Lagoinha, que é uma das nossas reivindicações junto ao Governo Federal. Então essa ligação centro-aeroporto-estádio é fundamental para o sucesso do empreendimento Copa em Belo Horizonte num alto nível”, destacou.
O governador Aécio Neves adiantou que pretende ir a Brasília, acompanhado do prefeito Marcio Lacerda, para discutir junto à Infraero o projeto de ampliação do Aeroporto Tancredo Neves. O projeto inicial da estatal federal é de investir R$ 250 milhões, até 2013, em Confins.
“Pretendemos até marcar uma ida juntos a Brasília, para tanto conversarmos com a Infraero com relação a essa questão da ampliação dos terminais do aeroporto, que teria que começar rápido, quanto a esse projeto que a prefeitura detalhou de forma muito competente, que passa, inclusive, pela questão do metrô de Belo Horizonte”, afirmou.

Aécio Neves pede agilidade do Legislativo na aprovação da nova legislação ambiental de Minas Gerais

Projeto de lei prevê ações para tornar o controle sobre o desmatamento de áreas nativas em um dos mais modernos e rígidos do País


O governador Aécio Neves defendeu nesta terça-feira (27/05) que a Assembleia Legislativa aprecie com rapidez o Projeto de Lei 2.771/2008, encaminhado pelo Executivo desde setembro do ano passado, e que reduz os limites de consumo de produtos e subprodutos florestais pelas indústrias. A nova legislação ambiental proposta pelo Governo de Minas é uma das mais rígidas e modernas do País em relação à preservação da mata nativa. Segundo o governador, essa será a maneira mais eficiente de combate ao desmatamento em Minas Gerais, que conta com biomas importantes como a Mata Atlântica e o Cerrado.
“Peço apoio inclusive das oposições para que possamos aprová-lo, porque esse projeto estabelece metas que vão diminuindo com o tempo, e até o ano de 2017, a siderurgia, enfim, as empresas que usam o carvão vegetal só poderão utilizar esse insumo em até 5% daquilo que utilizam hoje“, explicou o governador.
O Projeto de Lei em tramitação elimina o dispositivo da Lei 14.309/2002, atualmente em vigor, que permite às indústrias consumidoras de matéria prima florestal suprir toda a sua necessidade com produtos provenientes de florestas nativas, desde que cumpram as exigências de reposição florestal com o pagamento em dobro do que foi consumido. De acordo com a nova proposta, as empresas precisarão reduzir gradualmente o consumo de produtos e subprodutos florestais até atingir o máximo de 5% em 2017.

Fiscalização e preservação
Além da proposta de nova legislação, o governador destacou que outras ações do Governo de Minas, como a forte fiscalização e a recuperação da mata nativa, têm colaborado para a redução do ritmo do desmatamento e para a conservação florestal.
“Somos o estado que detém a maior área de Mata Atlântica ainda preservada do Brasil e estamos reduzindo vigorosamente em uma velocidade que nenhum outro estado o desmate da Mata Atlântica. Há uma pressão da pecuária, há uma pressão do consumo nas siderurgias, principalmente, que é uma atividade econômica importante em Minas Gerais, mas mesmo com isso, acho que Minas Gerais tem sido absolutamente exemplar”, apontou Aécio Neves.
Minas Gerais possui a maior área remanescente de Mata Atlântica do país, com 2,637 milhões hectares do bioma. Segundo dados da SOS Mata Atlântica, entre 1995 e 2000, foram desmatados no Estado 121.061 hectares. Entre 2000 e 2005, o desmatamento caiu para 41.349 hectares e entre 2005 e 2008 foi de 32.728 hectares.
Já a terceira edição do Mapa da Cobertura Vegetal Nativa do Estado de Minas Gerais, referente aos anos de 2006 e 2007, aponta uma queda de 29,3% no desmatamento dos principais biomas do Estado: a Mata Atlântica e o Cerrado. A redução acontece em função do aumento das áreas protegidas, melhoria no monitoramento e fiscalização. O Mapa é resultado de estudos e análises do Instituto Estadual de Florestas (IEF) e da Universidade Federal de Lavras (UFLA).
Minas também se destaca na conservação de áreas protegidas com a criação de novas unidades de preservação, entre elas Parques Estaduais abertos ao público. O Estado possui, atualmente, 167 unidades de conservação totalizando dois milhões de hectares de áreas protegidas, dos quais 675 mil são de proteção integral.

Entrevista do governador Aécio Neves


Lançamento da “Energia do Bem”.
Na verdade, é um evento extraordinário. É uma sinalização clara de com uma empresa pública bem gerida, no caso da Cemig, que avança no mercado, que se valoriza em bolsas, ela vale hoje cinco vezes mais do que valia quando assumimos o governo, pode ter um papel social dessa dimensão, como teve por exemplo, a construção de Irapé, que leva energia para o Vale do Jequitinhonha, recentemente premiada com um dos mais importantes prêmios internacionais. E agora faz algo de uma singeleza e de um alcance social extraordinários. Estamos atendendo já no primeiro momento, esse ano ainda cerca de 1400 entidades que cuidam de idosos em Minas Gerais. Levando algo que pode parecer pouco significativo para muitas pessoas, mas para aqueles que vivem e dependem dessas entidades, é extremamente importante. Água quente, economia de energia, aquecimento solar, uma geladeira em boas condições, enfim, estamos fazendo algo que, espero, possa ser universalizado para todas as entidades sociais de Minas Gerais, não apenas de idosos, mas também creches, Apae´s até o final do nosso governo.
A Cemig está investindo ao em torno de R$ 30 milhões neste programa, é um programa, vamos chamar experimental, mas já extremamente vitorioso porque até o final do ano todas essas entidades de idosos terão um pouco mais de conforto para tratar desses mineiros, sempre colocados muito à margem do Estado.

O presidente Lula já sinalizou a vontade dele de que o ministro Hélio Costa seja o vice da ministra Dilma. O PMDB tem conversado com o presidente Lula e colocado várias questões. Parece que neste momento o PT conversa mais com o PMDB e o PSDB está mais nos bastidores. Como está essa relação?
Ao contrário. Essa é uma questão interna que o PT tem que resolver. Eu tenho um respeito enorme pelo ministro Hélio Costa, é meu amigo, o que eu posso dizer é que o PSDB de Minas já iniciou também conversas com o PMDB. Eu próprio recebi na última semana o presidente regional do PMDB, deputado Fernando Diniz. Outras conversas entre dirigentes partidários acorrerão. Agora estamos vivendo o momento das especulações. Vocês vão ver notícias como essas permanentemente soltas nos jornais.
O que eu quero entender, no campo do PSDB, é que nós devemos, além de avançar na construção do nosso programa, das bandeiras que vão conduzir o PSDB na próxima eleição, temos que ter as nossas conversas com os nossos aliados.
Em Minas, temos conversado com aqueles partidos que estão na nossa base de sustentação, mas iniciamos conversas importantes também com o PMDB. O tempo é que vai tomar essas decisões. Eu, pessoalmente, não acredito em nenhuma decisão formal em termos de composição de chapa antes do final deste ano, seja de um lado, seja de outro.

As prévias vão vingar mesmo?
Espero que sim. Estamos num processo que eu defendi anteriormente que é o das viagens pelo país. Vamos discutir agora nesta semana as questões da agricultura e do agronegócio, depois em seguida vamos ao Ceará discutir programas de desenvolvimento regional, depois vamos discutir segurança pública, gestão pública. Acho que o PSDB cumpre o seu roteiro sem o açodamento que alguns gostariam que nós tivéssemos. Não há porque tomarmos definições há um ano e seis meses ou um ano e quatro meses das eleições.
Esse é o ano, repito, de definir o perfil das candidaturas e, a partir do final do ano, se não houver um entendimento antes, através das prévias, definir aí sim o candidato, mas esse candidato tem que nascer com robustez, solidez, e para isso, é importante que ele nasça já empunhando algumas bandeiras.
Então, acho que estamos no tempo absolutamente correto. Não é possível você condicionar a estratégia de um partido da oposição à estratégia de um partido do governo. São candidaturas distintas. Lá o governo busca construir uma candidatura que ainda não tem lastro eleitoral. No nosso campo, as candidaturas têm já algum espaço eleitoral, já disputaram eleições. Então, a nossa estratégia é outra. O governo vai certamente, na campanha, defender as suas ações e nós temos que defender o que queremos após esse governo.
Acho que cada um terá a sua estratégia e temos que respeitar a estratégia daqueles que estão no governo, mas temos que nos fixar na nossa e, no que depender de mim, eu gostaria de ampliar as alianças que já temos formalizadas hoje para outros partidos que estão na base de sustentação do presidente Lula, mas que não necessariamente estarão apoiando uma candidatura do PT. Não necessariamente.

Então o PSDB não está longe, não está atrás do PT nessas negociações?
Ao contrário. O que eu tenho visto, se analisarmos do ponto de vista regional, se fizermos uma contabilidade, há proximidade natural maior do PMDB com o PSDB em mais estados do que há essa harmonia com o PT. Acho que essa eleição, até por um equívoco da legislação eleitoral, onde não há mais a verticalização, portanto, as alianças são livres nos estados, não precisam ter compatibilidade nos estados com aquilo que é feito a nível nacional, vão prevalecer os interesses regionais e aí eu acho que o PSDB tem boas chances de apresentar alianças, além dos Democratas e do PPS, que é o núcleo da nossa ação de governo, com o PMDB num número muito expressivo de estados.

O que o senhor diz sobre a perda da unidade da Itambé para São Paulo? É mais uma ocorrência de guerra fiscal por causa da cobrança de ICMS?
É mais uma demonstração de que a guerra fiscal não pode prevalecer. Também temos atraído empresas em outros campos recentemente. Até conversava com o governador Serra sobre isso. Ele reclamava de algumas empresas que estavam, de alguma forma, com interesse em vir para Minas Gerais e eu disse: olha, hoje, o que prevalece é olho por olho e dente por dente. Isso não é bom para o país, isso não é racional do ponto de vista tributário porque vai chegar a um ponto em que o poder público vai fazer tantas concessões, como ocorreu com Goiás recentemente, e depois passa a não ter condições de dar a infraestrutura necessária à ampliação e à consolidação desses investimentos. Portanto, era muito importante que respeitássemos as regras estabelecidas no Confaz e buscássemos avançar numa reforma tributária que acabasse com essa perversa guerra fiscal. É um perde e ganha. Hoje até num somatório nós ganhamos mais do que perdemos, mas não é isso que é importante. O importante é termos racionalidade no sistema tributário e os estados, as regiões que não tenham uma capacidade natural de atração de investimentos, para essas sim deve existir o Fundo de Desenvolvimento Regional.

Essa conversa com o prefeito Marcio Lacerda vai definir alguma coisa em termos de Copa do Mundo e também da Antônio Carlos?
Estamos marcando uma visita já na próxima semana à avenida Antônio Carlos, como vocês devem avaliar, depois que o Estado a assumiu, ela avança numa velocidade muito grande. Vamos fazer uma primeira vistoria até para estimular que essa velocidade seja ainda maior daqui por diante.
E vamos falar de outros investimentos. Quero ter uma conversa com ele sobre a questão do Hospital do Barreiro. É um compromisso que eu, pessoalmente, assumi durante a campanha eleitoral e quero honrá-lo. É uma das questões da conversa e obviamente vamos dar uma atualizada a todo processo de renovação do Mineirão.
Portanto, agora que vamos ter o anúncio já no domingo, e eu tenho plena confiança de que Belo Horizonte será anunciada como uma das sedes, temos agora que dar os passos fundamentais para que o processo de renovação do Mineirão avance. E eu estarei publicando um decreto - e essa também é uma das razões da conversa logo na segunda ou no máximo na terça-feira - criando uma comissão que irá coordenar todo processo de revitalização, de recuperação do Mineirão e essa comissão será coordenada pelo vice-governador Antonio Anastasia.

SOS Mata Atlântica.
Na verdade, o SOS Mata Atlântica publicou hoje. Foram publicados esses dados hoje e é preciso que esses dados sejam analisados com a complexidade e amplitude que merecem. Foi publicado em alguns jornais, pelo SOS, que Minas Gerais é o estado que teve a maior participação no desmatamento de mata atlântica. É um fato, mas não foi colocado na mesma matéria, pelo menos nas que vi, que Minas Gerais é o estado que detém a maior participação e o maior percentual de mata atlântica entre todos estados brasileiros. Também não foi registrado o esforço que o governo vem fazendo para diminuir esse desmatamento.
De 95 a 2000 foram 122 mil hectares de mata atlântica desmatados. De 2000 a 2005, já com a participação do nosso governo, esses 122 mil caíram para 43 mil hectares. E de 2005 para cá foram 31 mil hectares. É um problema absolutamente sério, estamos enfrentando tanto com uma fiscalização severa, quanto com projeto de lei que tramita na Assembleia Legislativa e aqui de público, mais uma vez, peço apoio inclusive das oposições para que possamos aprová-lo, porque esse projeto estabelece metas que vão diminuindo com o tempo e até o ano de 2017, a siderurgia, enfim, as empresas que usam o carvão vegetal só poderão utilizar esse insumo em até 5% daquilo que utilizam hoje. Então há um processo em andamento legislativo que precisa ser aprovado, mas há um esforço enorme do governo na redução desse percentual. Quando leio a matéria, pelo menos da forma que saiu hoje, dá impressão que os 27 estados brasileiros têm como Minas tem, um milhão e 200 mil hectares de mata atlântica e tivemos uma perda, nesse últimos 5 anos, de 30 e poucos mil. Não é verdade. Somos o estado que detém a maior área de mata atlântica, ainda preservada, do Brasil e estamos reduzindo vigorosamente em uma velocidade que nenhum outro estado está diminuindo o desmate da mata atlântica.
Há uma pressão da pecuária, há uma pressão do consumo nas siderurgias, principalmente, que é uma atividade econômica importante em Minas Gerais. Mas mesmo com isso, acho que Minas Gerais tem sido absolutamente exemplar. Gostaria apenas de deixar aqui esse esclarecimento. Saltamos de 120 mil, de 95 a 2000, para 42 mil, de 2000 a 2005, e agora estamos em 30 mil e no que depender do nosso esforço e com a aprovação dessa lei encaminhada pelo executivo à Assembleia Legislativa, vamos demonstrar de forma muito clara que é possível compatibilizar crescimento econômico com a preservação ambiental.

Ação conjunta do Governo de Minas, Cemig e Servas




Instituições receberão aquecedores solares, geladeiras,
chuveiros e lâmpadas econômicas


O governador Aécio Neves lança, nesta quarta-feira (27/05), a “Energia do Bem”, ação conjunta do Governo de Minas, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedese), Cemig e Servas, para beneficiar entidades de assistência social de todo o Estado. As instituições receberão equipamentos como aquecedores solares, geladeiras, chuveiros e lâmpadas econômicas e recuperadores de calor. Ao todo serão investidos R$ 23,5 milhões, recursos do programa Eficiência Energética da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), implementado pela Cemig. O investimento feito pela estatal mineira segue a normatização da Aneel, para ações de assistência social.

Serão beneficiadas instituições de Longa Permanência de Idosos (ILPI), creche, APAE, abrigo, albergue, casa de passagem, centros de recuperação para dependentes químicos e casa-Lares. O objetivo da ação é melhorar o atendimento prestado pelas entidades assistenciais e dar mais conforto às pessoas atendidas, contribuindo também para a redução do consumo de energia elétrica e preservação do meio ambiente.

Serão contempladas, no primeiro ano, cerca de 1.400 instituições instaladas em cidades da área de concessão da Cemig, formada, atualmente, por 774 dos 853 municípios mineiros. Durante a solenidade, os equipamentos serão apresentados pela Cemig e estarão expostos nos jardins do Palácio da Liberdade.

Equipamentos econômicos
Dentro do Programa de Eficiência Energética da Aneel, a Cemig substituirá os equipamentos existentes nas entidades, tais como lâmpadas incandecentes, geladeiras antigas e aquecedores solares para aquecimento de água. Também serão instalados chuveiros eficientes, que aproveitam o calor da água do banho para aquecer a água da caixa, utilizando uma plataforma instalada no piso do banheiro.

O tipo de equipamento a ser instalado em cada instituição será definido a partir da avaliação de técnicos da Cemig. As visitas serão agendadas nos próximos meses. O equipamento será doado e instalado gratuitamente, sem qualquer tipo de ônus financeiro para a entidade beneficiada. Para todas as entidades, está sendo oferecida a oportunidade de substituição das lâmpadas incandescentes por lâmpadas fluorescentes compactas, mais econômicas e sem qualquer custo.

Como ser beneficiada
Para ser beneficiada, a entidade de assistência social deve estar instalada em municípios da área da concessão da Cemig e estar com documentação atualizada junto ao Servas. Também deve manifestar interesse em ser beneficiada com a ação, mediante preenchimento de Termo de Adesão disponibilizado no site do Servas (http://www.servas.org.br/).

Documentos obrigatórios
Para atualização do cadastro junto ao Servas, a instituição deverá apresentar os seguintes documentos: Cópia da Ata de Eleição e Posse da atual diretoria; Cópia do Estatuto Social Registrado atualizado; Cópia da Carteira de Identidade e do CPF do Presidente da Instituição; Cópia do CNPJ; Certificado de Inscrição do Conselho Municipal de Assistência Social (CMAS) atualizado.




Política de assistência social valorizada em todo o Estado

O Governo de Minas, por meio da Sedese e do Servas, desenvolve outras ações para atendimento de crianças, adolescentes e idosos em situação de risco social em todo o Estado. Entre elas estão as Casas-lares, coordenadas pela Sedese, que contam atualmente com 68 unidades em 32 municípios, totalizando cerca de 600 crianças e adolescentes atendidos.

O programa Curumim atende crianças e adolescentes, com atividades socioeducativas fora do horário escolar em 24 núcleos de cinco municípios. Cerca de 3.400 crianças e adolescentes são atendidas. Já o Centro Integrado de Apoio ao Menor (Ciame) atende crianças e adolescentes, por meio de atividades socioeducativas, com foco no apoio a família e a comunidade, visando à prevenção e o desenvolvimento social. Atualmente, funciona em três núcleos em Belo Horizonte. Atendendo 700 crianças e adolescentes.

O programa Mocatu atende crianças, adolescentes e adultos portadores de deficiência física, visual, auditiva e mental por meio de atividades esportivas, culturais, lúdicas, expressivas e recreativas. Atualmente, é desenvolvido, em parceria com APAE/BH, APAE/Ribeirão das Neves e Fundação Dom Bosco. São beneficiadas 150 pessoas.

O Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas) apóia o trabalho das entidades de assistência social com o Programa de Apoio a Comunidades (PAE) que fornece alimentos, agasalhos, móveis e equipamentos como computadores, fogões, geladeiras, TVs, DVDs, máquinas de lavar, camas, berços, cadeiras de rodas, armários, brinquedos, além de veículos novos e usados, entre outros itens. De 2003 a 2008, atendeu 2.625 instituições em 648 municípios.

Por meio do Programa Digna Idade, desenvolvido em parceria com o Ministério Público Estadual e iniciativa privada, mudou a vida de idosos que vivem em abrigos. Criado em 2003, o programa atendeu, até 2008, 456 instituições, com reforma de instalações, aquisição de novos equipamentos e capacitação de profissionais. Já foram beneficiados 17.441 idosos.

Os Centros Solidários de Educação Infantil, viabilizados pelo Fundo para Infância e Adolescência – FIA Estadual, atendem crianças de zero a seis anos em 13 municípios. Cada unidade tem berçários, sala de leitura, refeitório e parque recreativo. O Servas também doou kits de brinquedos e livros de leitura, além da capacitação de 734 educadores infantis de 468 creches mineiras por meio do projeto Brinquedoteca que já beneficiou cerca de 35 mil crianças de 129 municípios.

Outro importante programa de cunho social é o Valores de Minas. Todo ano, 500 jovens, alunos da rede pública estadual, participam do programa que oferece oficinas de teatro, dança, circo, música e artes plásticas. Eles têm aula de cidadania, participam de exposições, eventos culturais e, nos finais de semana, têm aulas de reforço escolar. No final do ano, os jovens produzem um grande espetáculo. Desde 2005, já formou 1.950 pessoas, entre alunos, multiplicadores, professores de arte da rede estadual e ex-alunos que fizeram o curso de extensão.

SUAS
Minas Gerais é o primeiro Estado brasileiro a destinar recursos orçamentários para implantação dos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS), ligados ao Sistema Único de Assistência Social (SUAS), o que representou um grande passo para a organização das políticas públicas de assistência social.

Os CRAS atendem famílias em vulnerabilidade social encaminhadas à rede de proteção do município, como creches, escolas, postos de saúde e centros e convivência de idosos. Atualmente, são 652 centros em 522 municípios, que recebem investimentos dos governos federal, estadual e municipal. Em 2008, o Governo de Minas liberou R$ 4,5 milhões para a construção ou reforma de 68 novos CRAS.

Para 2009, serão investidos R$ 12,1 milhões, sendo R$ 4,5 milhões para construção/reforma de 65 novas unidades e R$ 7,6 milhões para manutenção de outros 100, totalizando 165. A meta é garantir, pelo menos, um CRAS em cada um dos 853 municípios do Estado. As ações do programa acontecem de forma articulada entre municípios, Estado e União. Em 2008, o Governo de Minas habilitou 99% dos 853 municípios para oferecer serviços de proteção social.

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Governo Aécio Neves leva exemplo de política antidrogas a Alagoas

O subsecretário de Políticas Antidrogas, Cloves Benevides esteve, nessa segunda-feira, 25, em Maceió (AL), para uma série de reuniões no Estado, onde, em encontro com o governador Teotônio Vilela Filho (PSDB), recebeu elogios à política pública de segurança em Minas Gerais e ao pioneirismo do Estado na implantação da política sobre drogas. Para o governador alagoano, esses exemplos de Minas serão utilizados para estruturar as políticas de seu estado.
Leia mais em:
http://www.agenciaminas.mg.gov.br/detalhe_noticia.php?cod_noticia=25818

João Leite propõe criação de frente parlamentar em defesa do transporte ferroviário

A Comissão de Cultura da Assembléia Legislativa quer saber qual é a situação do patrimônio cultural do Estado associado ao transporte ferroviário. Para isso, vai realizar, nesta quarta-feira (27), uma audiência pública no Plenarinho II. O requerimento da reunião é do deputado João Leite (PSDB), que propõe a criação de uma frente parlamentar em defesa do transporte ferroviário e é autor de projeto que estabelece normas para preservar e promover esse patrimônio.
Leia mais em:
http://www.psdb-mg.org.br/partido/Joao-Leite-propoe-criacao-de-frente-parlamentar-em-defesa-do-transporte-ferroviario.aspx

PSDB Mulher completa 10 anos com vitórias e promove fórum para comemorar data

PSDB Mulher completa 10 anos com vitórias e promove fórum para comemorar data
O PSDB Mulher completa 10 anos de atividades. Para marcar a data, o PSDB Mulher realiza em Brasília, no próximo dia 3 de junho, o 1º Fórum Nacional da organização, com a participação de prefeitas, vices-prefeitas, vereadoras, deputadas estaduais e federais, senadoras e lideranças nacionais do partido. O evento, marcado para iniciar às 9 horas, será aberto com uma saudação do ex-presidente da República e presidente de honra do PSDB Fernando Henrique Cardoso. Os governadores Aécio Neves, de Minas Gerais; José Serra, de São Paulo, e Yeda Crusius, do Rio Grande do Sul, já confirmaram presença no evento.
Leia mais em:
https://www2.psdb.org.br/noticias.asp?id=39938

terça-feira, 26 de maio de 2009

Operadores e jornalistas norte-americanos visitam Minas Gerais

Belo Horizonte, Ouro Preto, Mariana, Congonhas, Tiradentes e São João del-Rei serão as cidades visitas.


A Secretaria de Estado de Turismo (Setur), em parceria com a BTOA (Brazil Tour Operators Association) recebe, a partir desta segunda-feira (25) até o dia 29 de maio, dois jornalistas e nove operadores norte-americanos que conhecerão os atrativos turísticos de Minas Gerais – destino que, desde novembro de 2008 possui ligação direta com os Estados Unidos, por meio do voo BH-Miami, operado pela American Airlines. A iniciativa se insere na política pública do Governo de Minas de promoção e apoio à comercialização do destino Minas Gerais.

A viagem do grupo norte-americano será realizada até o dia 29 de maio, pelas cidades de Belo Horizonte, Ouro Preto, Mariana, Congonhas, Tiradentes e São João del-Rei. O grupo visitará os atrativos turísticos dos municípios, que abrangem os Circuitos Turísticos do Ouro e Trilhas dos Inconfidentes.

De acordo com a secretária de Estado de Turismo, Érica Drumond, o grupo norte-americano está realizando viagem de reconhecimento por Minas Gerais, com visita técnica a hotéis e equipamentos turísticos, com workshop de capacitação e encontros comerciais com empresas de receptivo local. “Minas está pronta para o turismo internacional. Nosso foco agora é incentivar que nossos produtos sejam comercializados e divulgados nos maiores mercados mundiais”, ressaltou.

Os Estados Unidos são o segundo país emissor de turistas para o Brasil, ficando atrás apenas da Argentina. De acordo com a Pesquisa de Demanda do Turismo Internacional, realizada pelo Ministério do Turismo, por meio da Embratur, cerca de 700 mil norte-americanos visitaram nosso país em 2007, motivados por negócios, eventos e convenções, visitar amigos e parentes, lazer e outros.

Participam da viagem por Minas Gerais representantes das operadoras, Borello Travel and Tours, BROL - Brazil Online, HOTUR, Air Projects, Freelance Journalist e Visit Brazil Tours. E, ainda, a Ogilvy, empresa de assessoria de mercado.


Outras informações com a assessoria de imprensa da Secretaria de Estado de Turismo: 0 operadora 31.3270.8518

Aécio Neves defende nova política para o café


Governador foi homenageado pelo Conselho dos Exportadores de Café Verde,
um dos mais importantes eventos da cafeicultura brasileira


O governador Aécio Neves participou nesta segunda-feira (25/05), em São Paulo, da 3ª edição do Coffee & Dinner, um dos mais importantes eventos da cafeicultura. Promovido pelo Conselho dos Exportadores de Café Verde (Cecafé), o evento marca o início da safra 2009/2010. Durante o evento, o governador recebeu o prêmio “Empreendedores do Café”, conferido ao Estado de Minas Gerais, em reconhecimento à contribuição que o Estado tem dado ao negócio do café. Em seu pronunciamento, Aécio Neves falou sobre a importância do café na economia nacional, ressaltando a necessidade de recursos para investimentos na modernização e sustentabilidade da produção.
“O maior problema a ser enfrentado, que, aliás, é comum a todas as commodities, é a volatilidade do preço do café, que hoje é a segunda maior commoditie do mundo, só suplantada pelo petróleo. Parece estranho voltarmos, uma vez mais, a uma antiga pauta de reivindicações, que há tantos e tantos anos está colocada para os governos e as nossas lideranças. Um país que detém 35% do mercado mundial de café não pode ficar desguarnecido de uma política de comercialização mundial”, disse Aécio Neves.
O governador citou preço mínimo de garantia, crédito de custeio para o cultivo, crédito para a comercialização, instrumento de oferta em mercados futuros e seguro rural, entre as principais medidas que precisam ser adotadas pelo Governo Federal para proteger o café brasileiro.
“O princípio da Política de Garantia de Preço Mínimo deve garantir ao produtor uma remuneração que cubra pelo menos os custos de produção. E os dados atuais demonstram que os valores estipulados pelo Governo Federal não atendem sequer a esse patamar. O Governo Federal precisa praticar a política de garantia comprando o excedente da produção brasileira com preços compatíveis com a realidade da cafeicultura brasileira. Ou seja, o que reclamamos – e há muito tempo – é a formação de uma política agrícola moderna, eficaz, que esteja inclusive à altura do Brasil como grande produtor de alimentos para o mundo”, declarou Aécio Neves.
O governador lembrou que tem ido a Brasília, por várias vezes, acompanhado de líderes da cafeicultura, para negociar com o Governo Federal uma extensa pauta de reivindicações do setor.
“Na semana passada voltei ao ministro Guido Mantega para cobrar a concretização das sinalizações positivas e os compromissos firmados naquele encontro e até hoje não concretizados em plenitude. E mais uma vez aqui estamos aguardando a boa vontade de Brasília, em que pese o ministro ter reafirmado sua palavra quanto alguns avanços possíveis”, disse o governador.

Marketing internacional
Aécio Neves também destacou a importância de toda a cadeia do setor – produção, indústria e comércio – se envolver num amplo programa de marketing internacional.
“Precisamos compreender que os consumidores de todo o mundo exigem, e, com competência, posicionar o nosso produto. Sendo os maiores produtores mundiais, os maiores exportadores e o segundo mercado consumidor do mundo, é nosso dever e nossa responsabilidade exercer a liderança que nos cabe no mercado internacional. Para exercê-la em plenitude, é preciso também melhorar internamente a governança do café, por maiores que sejam os esforços do ministro Reinhold Stephanes, que os reconheço”, afirmou Aécio Neves, destacando o trabalho do ministro da Agricultura, presente ao evento, assim como o secretário de Estado de Agricultura de Minas Gerais, Gilman Viana.
O prêmio “Empreendedores do Café” é dado a 13 personalidades, nacionais e internacionais, que se destacaram na atividade cafeeira ou que contribuíram para o desenvolvimento do café do Brasil.
O tema do Coffee & Dinner, na edição deste ano, foi “Novos Desafios – Novos Cenários”. Foram discutidas as tendências da produção, do consumo e do mercado frente aos novos momentos do café, nesse ambiente de crise econômica e seus desdobramentos sobre o agronegócio café.

Mercado mineiro de café
Minas Gerais é o maior produtor de café do Brasil. O Estado irá colher neste ano cerca de 19,2 milhões de sacas de café (60kg). O volume corresponde a 49% da produção brasileira. A safra de 2009 será 19% menor que a do ano passado por causa da bianualidade da cultura, que alterna um ano de safra alta e outro de safra baixa. O café é a principal atividade econômica de aproximadamente 400 municípios mineiros.
O café é o segundo produto da pauta de exportação de Minas Gerais, atrás apenas do minério de ferro. No ano passado, as exportações mineiras de café somaram US$ 3 bilhões. As vendas de café por Minas Gerais para o exterior, nos quatro primeiros meses deste ano, movimentaram US$ 1,3 bilhão.

Pauta de reivindicações
O governador Aécio Neves esteve reunido na semana passada (21/05), em Brasília, com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, para tratar da crise da cafeicultura. No encontro, ficou acertado que o Governo Federal vai aceitar o pagamento de parte da dívida dos cafeicultores com a União, de cerca de R$ 1 bilhão, em sacas de café. Segundo o governador, o pagamento será de 5% da dívida, a cada ano, em um período de 20 anos.
Também ficou combinado que o anúncio oficial da realização dos leilões de opção de café será feito pelo ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes. Aécio Neves pediu, ainda, que o governo assuma parte da dívida dos cafeicultores com o setor privado, estimada em R$ 3 bilhões, para que o pagamento também possa ser feito em café. Essa possibilidade ainda será avaliada pelo Governo Federal.

Aécio Neves participou nesta segunda-feira (25/05), em São Paulo, da 3ª edição do Coffee & Dinner



O governador Aécio Neves participou nesta segunda-feira (25/05), em São Paulo, da 3ª edição do Coffee & Dinner, um dos mais importantes eventos da cafeicultura. Promovido pelo Conselho dos Exportadores de Café Verde (Cecafé), o evento marca o início da safra 2009/2010. Durante o evento, o governador recebeu das mãos do presidente do Cecafé, João Antônio Lian, o prêmio “Empreendedores do Café”, conferido ao Estado de Minas Gerais, em reconhecimento à contribuição que o Estado tem dado ao negócio do café. Também esteve presente o secretário de Estado de Agricultura de Minas Gerais, Gilman Viana.

Créditos: Wellington Pedro/Imprensa MG

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Aécio: Governo converterá R$ 1 bi de dívidas de cafeicultores em sacas

O governador de Minas Gerais, Aécio Neves, informou hoje que o ministro da Fazenda, Guido Mantega, aceitou o recebimento de R$ 1 bilhão em dívidas dos cafeicultores em sacas de 60 quilos do produto. Segundo ele, não houve acordo com relação aos cerca de R$ 3 bilhões devidos pelos produtores com setor privado, ficando o acerto apenas na parcela devida ao setor público. De acordo com Aécio Neves, a conversão da dívida financeira em produto físico será feita ao longo de 20 anos, sendo que a cada ano será abatida o correspondente a 5% da dívida financeira total.
Segundo o governador mineiro, essa forma de pagamento vai permitir ao governo formar um estoque regulador de café. Aécio Neves disse, ainda, que o ministro Mantega informou que o governo vai fazer leilões de opção de venda de café, mas não entrou em maiores detalhes, pois a medida será anunciada pelo ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes.
Veja mais na Agência Estado: Aécio: Governo converterá R$ 1 bi de dívidas de cafeicultores em sacas.
Fonte: http://www.ae.com.br/institucional/ultimas/2009/mai/21/2254.htm

Aécio Neves apresenta ao país um novo projeto nacional


O governador Aécio Neves segue firme em seu projeto de construir uma agenda positiva para o país, atento em ampliar os avanços sociais conquistados pelos brasileiros na última década e antenado com o fortalecimento da economia e da federação.
Em encontro com lideranças empresariais, políticas e do judiciário na sede da Associação Comercial do Rio de Janeiro, no dia 15 passado, e no Congresso Nacional, na última quinta-feira, Aecio mostrou as credenciais de um grande articulador político e de administrador moderno e bem informado.
Em palestra na Associação Comercial do Rio de Janeiro, o governador Aécio Neves defendeu o restabelecimento dos princípios federativos no Brasil. Aécio Neves acredita que a descentralização dos recursos traria oportunidades iguais para todas as regiões do país.
“Precisamos de um projeto que permita, de forma descentralizada, que cada região possa transformar suas vocações e competências em efetiva riqueza, distribuída de forma equânime, democrática e, portanto, socialmente justa e pacífica. Trata-se da recuperação dos princípios que moveram a República e o Federalismo no Brasil, e que praticamente morreram sob a égide da concentração de poder e da irremediável subordinação dos entes federados”, destacou, ao discursar durante o “Almoço do Empresário”, promovida pela Associação Comercial.
Em visita ao Congresso Nacional, em Brasília na quinta-feira (21), o governador Aécio Neves se reuniu com o presidente da Câmara, Michel Temer, líderes do Democratas (DEM), e também com o senador Pedro Simon (PMDB).
Durante a visita, o governador e os deputados debateram a proposta de reforma política que tramita na Casa e, durante reunião na liderança do DEM, foram relembrados os 25 anos da formação da Aliança Democrática Nacional. Essa aliança propiciou a eleição de Tancredo Neves à presidência da República.
Aliança Democrática
Na visita que fez à liderança do DEM, o governador conversou com o presidente nacional do partido, Rodrigo Maia, o líder da bancada, deputado Ronaldo Caiado, e mais cerca de 15 parlamentares. No encontro, o deputado e ex-governador de Pernambuco, Roberto Magalhães, ressaltou a importância da Aliança para a retomada da prática democrática no país, que levou à eleição do presidente Tancredo Neves. O governador Aécio Neves relembrou fatos importantes que viabilizaram a composição dos partidos e lembrou ter iniciado, aí, a sua vida pública.
Veja mais em:
No O Globo: Em discurso de candidato, Aécio Neves diz que país precisa de projeto nacional.
No Blog da Lúcia Hippolito: Aécio Neves saúda o povo e pede passagem.
Na Agência Minas: Aecio defende em palestra descentralização de recursos.
Na Agência Minas: Aécio se reúne com líderes da Câmara e do Senado

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Nova fábrica da Ambev em Sete Lagoas começa a produção em junho e vai gerar 1500 empregos

Uma nova fábrica da Ambev começa a produzir no mês que vem em Sete Lagoas, a setenta quilômetros da capital. Vão ser produzidos 200 milhões de litros de cerveja.
video

AmBev inicia produção da fábrica de Sete Lagoas

Comunicado foi feito ao governador Aécio Neves, pelo presidente da cervejaria, Victorio de Marchi, durante encontro no Palácio da Liberdade
A diretoria da cervejaria AmBev comunicou ao governador Aécio Neves, durante audiência nesta terça-feira (19/05), no Palácio da Liberdade, que a nova fábrica do grupo, filial Nova Minas, instalada em Sete Lagoas, entrará em operação em junho. Durante o encontro, o presidente da AmBev, Victorio de Marchi, também anunciou ao governador que irá antecipar a segunda fase do projeto, com o início de uma segunda linha de produção ainda este ano.
“A crise que se instalou no mundo está atingindo o Brasil de forma setorial. As indústrias de bens de consumo, felizmente, estão num ritmo normalizado até agora. No nosso setor houve até crescimento no primeiro trimestre. Isso nos fez executar o nosso planejamento de construir uma nova unidade industrial aqui em Minas. E viemos justamente comunicar ao governador que pretendemos dar início à produção da primeira fase desse empreendimento a partir de junho, complementando a segunda fase até o final do exercício”, disse o presidente da AmBev, após o encontro com o governador.

Empregos
A filial Nova Minas, nessa primeira fase, vai gerar 310 empregos diretos. Estão sendo investidos R$ 240 milhões na unidade de Sete Lagoas, em duas linhas de produção de cerveja, uma de garrafa e outra de lata. A de garrafa tem capacidade de produção de 2,1 milhões de hectolitros por ano e a de lata 1,9 milhão de hectolitros. Até 2013 serão investidos mais R$ 110 milhões, totalizando R$ 350 milhões. A fábrica de Sete Lagoas vai abastecer, além de Minas Gerais, o mercado Centro-Sul, juntamente com o Rio de Janeiro e São Paulo.
“Mas temos que considerar os empregos aderentes. Porque não são somente aqueles empregados dentro da fábrica que devem ser contados. Podemos dizer tranquilamente que ao nosso redor serão gerados, a partir de junho, cerca de 1,5 mil empregos”, afirmou o presidente da AmBev.
O secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Sérgio Barroso, ressaltou a importância do início de produção da fábrica da AmBev em Minas, num momento em que as notícias de demissões são bem mais constantes que as de admissões, em todo o mundo.
“Num tempo em que só se fala de demissões, só se fala em problemas, uma empresa do tamanho e envergadura da AmBev anunciar um investimento que vai gerar 1,5 mil empregos, é de grande importância para o nosso Estado. E o que é melhor, eles já estão antecipando a segunda expansão”, disse Sérgio Barroso.

AmBev em Minas
A unidade de Sete Lagoas reforça a parceria entre a AmBev e Minas Gerais. A empresa já possui outras duas fábricas no Estado – filial Minas Gerais, em Juatuba, e filial Contagem. O grupo também mantém quatro centros de distribuição direta – em Contagem, Pampulha, Uberaba e Uberlândia. No total, a companhia é responsável pela geração de 1.852 empregos diretos.
O portifólio produzido pelas fábricas em Minas inclui os refrigerantes Guaraná Antarctica, Pepsi, Sukita, Soda, Tônica, H2OH! e as cervejas Skol, Brahma, Antarctica e Original.

Senador Eduardo Azeredo propõe sistema de listas para eleição no Parlasul

O sistema de listas fechadas poderá ser testado na escolha dos integrantes brasileiros do Parlamento do Mercosul. A sugestão foi apresentada pelo senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG), em anteprojeto encaminhado à Representação Brasileira no Parlasul. Segundo o senador, esse sistema de escolha parlamentar é o mais usado em todo o mundo e sua adoção para a composição do Parlamen. Eduardo Azeredo participou de reunião do Parlamento do Mercosul, em Montevidéu, na segunda-feira, dia 18.
Leia mais em:
http://www.psdb-mg.org.br/partido/Eduardo-Azeredo-propoe-sistema-de-listas-para-eleicao-no-Parlasul.aspx

Comissão da Câmara aprova pedido de Eduardo Barbosa para discutir pedofilia

A Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira, dia 20, requerimento assinado pelo deputado Eduardo Barbosa (PSDB/MG) pedindo a realização de audiência pública para discutir as políticas voltadas para o combate à pedofilia no Brasil. O portal infantil da Câmara dos Deputados Plenarinho (www.plenarinho.gov.br) promove bate-papo com o tucano mineiro sobre o tema nesta quinta-feira, às 10h30.
Leia mais em:
https://www2.psdb.org.br/noticias.asp?id=39889

Aécio Neves recebe no Palácio das Mangabeiras o prefeito de Curitiba, Beto Richa

O governador Aécio Neves se reuniu, nesta quarta-feira, dia 20, no Palácio das Mangabeiras, com o prefeito de Curitiba, o também tucano Beto Richa. O prefeito de Curitiba veio convidar o governador para participar no dia 5 de junho, em Foz do Iguaçu (PR), de mais um encontro promovido pelo PSDB, desta vez para discutir agricultura e agronegócio.
Leia mais em:
http://psdbmg.wordpress.com/
Confira entrevista dos dois tucanos em:
http://www.agenciaminas.mg.gov.br/detalhe_entrevista.php?cod_entrevista=989

Servas recebe 600 cobertores que serão distribuídos para entidades

A presidente do Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas), Andrea Neves da Cunha, recebeu nesta terça-feira, dia 19, do Sindicato das Empresas de Factoring de Minas Gerais (Sindisfac-MG), a doação de 600 cobertores. A entrega da doação será através do Programa de Apoio às Entidades (PAE), que tem como finalidade dar suporte a instituições assistenciais - como asilos, creches e Apaes - contribuindo assim para a melhoria e ampliação da assistência prestada.
Leia mais em:
http://www.agenciaminas.mg.gov.br/detalhe_noticia.php?cod_noticia=25678

LDO para 2010 é lida em Plenário na Assembléia Legislativa

Foi lida no Plenário da Assembléia Legislativa de Minas Gerais, durante a Reunião Ordinária desta terça-feira, dia 19, mensagem do governador Aécio Neves encaminhando o projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2010. Com esse recebimento oficial, inicia-se a tramitação da proposta no Legislativo. Outras duas mensagens do governador foram lidas em Plenário, uma delas com projeto que autoriza doação de imóvel ao município de Governador Valadares e outra com projeto que dá o nome a escola estadual situada na reserva indígena Maxakali de Bertópolis.
Leia mais em:
http://www.almg.gov.br/not/bancodenoticias/Not_738123.asp

PSDB rechaça ataques do governo Lula sobre CPI da Petrobras

Senadores do PSDB contestaram os ataques feitos ao partido pelo presidente Lula e pelo ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, em virtude do pedido de criação da CPI da Petrobras no Senado. O ministro insinuou que o PSDB queria privatizar a Petrobras no governo passado, e como não conseguiu busca agora desmoralizá-la para vendê-la no futuro.
Leia mais em:
https://www2.psdb.org.br/noticias.asp?id=39871

terça-feira, 19 de maio de 2009

Ipsemg marca consulta por e-mail para servidor do interior

BELO HORIZONTE (18/05/09) - O Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais (Ipsemg) modificou o sistema de marcação de consultas para os beneficiários do interior do Estado, que buscam atendimento no Centro de Especialidades Médicas (CEM), em Belo Horizonte. Os pedidos de marcação de consultas passam a ser feitos agora por e-mail e não mais através de malotes via correios. Dessa maneira, a resposta sobre a consulta chega à agência no mesmo dia. A marcação de consultas via e-mail é de uso exclusivo das agências do Ipsemg de cada cidade. Por isso, o beneficiário deve se dirigir sempre a uma agência mais próxima levando o cartão de Identificação (cartão magnético do Ipsemg) e documento de identidade ou equivalente. Além de agilizar o processo de marcação de consultas, a medida leva à economia de gastos com material, serviços de postagem e telefonia. O setor de marcação de consultas do CEM recebe diariamente uma média de 160 e-mails das 64 agências do Ipsemg de várias cidades do Estado. As consultas são marcadas, no máximo, para dentro de 30 dias. O Ipsemg mantém contrato de prestação de serviços de saúde aos beneficiários com 168 hospitais, 470 clínicas, 488 laboratórios e 1.679 médicos de diversas especialidades em 370 cidades do Estado. Não houve ainda alteração no pedido de exames de beneficiários do interior que precisam ser feitos em Belo Horizonte.

Palácio das Artes homenageia Villa-Lobos no Grande Teatro

BELO HORIZONTE (19/05/09) - Vozes, instrumentos, dança e um Villa-Lobos bem brasileiro. Isto é um pouco do que o público vai conferir no Palácio das Artes, de quinta-feira (21) a domingo (24), nas apresentações do espetáculo Villa-Lobos: Choros. No palco do Grande Teatro, Cia de Dança Palácio das Artes, Coral Lírico e Orquestra Sinfônica de Minas Gerais se unem para prestar uma homenagem aos 50 anos de morte de Heitor Villa-Lobos. As apresentações serão às 20h30, na quinta, sexta e sábado, e às 19h, no domingo. Villa Lobos: Choros tem direção geral e cenografia de Ione Medeiros; coreografia de Jomar Mesquita e regência de Charles Roussin. O espetáculo Segundo Ione Medeiros, o espetáculo que coloca lado a lado os três corpos artísticos da Fundação Clóvis Salgado tem o objetivo de apresentar uma visão mais popular do compositor brasileiro. A idéia é ainda localizar o papel de Villa-Lobos dentro do movimento modernista nacional e sua relação com eventos importantes, como a Semana de Arte Moderna de 1922. Durante todo o espetáculo, serão apresentados ícones da cultura brasileira, como Carmem Miranda, o futebol, obras de artistas como Cândido Portinari e diversos outros elementos que revelem um pouco da exuberância de Villa-Lobos e da identidade do Brasil, que ele tanto se empenhou para definir e mostrar ao mundo. Para fazer uma homenagem justa a um brasileiro nascido no Rio de Janeiro e que, sozinho, aprendeu violão na adolescência, em meio às rodas de choro cariocas, a Orquestra, o Coral e a Cia. de Dança se reúnem em um mesmo palco. O tom de cada apresentação terá os choros escritos por Villa-Lobos, nas décadas de 20 e 30. O compositor fez 16 choros para as mais variadas formações: piano ou guitarra solista, conjunto de câmara, voz e orquestra, coros e grande orquestra. A obra Choros foi criada em uma época da construção da identidade brasileira. Villa-Lobos foi considerado um compositor único por unir músicas com sons naturais. O artista utilizava sons da mata, eventos indígenas, africanos, cantigas, choros, sambas e outros gêneros muito utilizados no Brasil. A preocupação era sempre fundir suas obras com aspectos da música realizada no país. A diretora do espetáculo, Ione Medeiros, fala da obra escolhida para homenagear o cinquentenário do compositor. “Os Choros de Villa-Lobos nos remetem ao modernismo dos anos 20, movimento que se propunha a repensar a nossa cultura, resgatar nossas tradições, costumes e etnias, tendo em vista a construção de uma identidade brasileira. Dentro desta proposta, presente na literatura, nas artes plásticas, na música, nos manifestos de artistas e intelectuais, elaborava-se a seguinte questão: que cara tem o Brasil? Retomando esta perspectiva, queremos esboçar cenicamente um caleidoscópio telúrico feito de sons, cores e imagens, reavivando ícones e traços de nossa memória afetiva e comemoramos a exuberância criativa de nosso povo”. Cia de Dança Sintonizada com as modernas linguagens da dança, a Cia. intensificou o processo de criação do bailarino no final da década de 90, criando novos espetáculos, seja por intermédio do trabalho parceiro com coreógrafos convidados, seja por meio de processos colaborativos com os bailarinos do próprio grupo. O atual foco de gestão da companhia se apóia na potencialidade criadora dos bailarinos, incentivando e promovendo a pesquisa em dança. Orquestra Sinfônica A Orquestra Sinfônica de Minas Gerais foi criada no dia 2 de setembro de 1976. Desde sua criação, vem cumprindo o papel de difusora da música erudita para o grande público. Só em 2008, foram realizados sessenta concertos. Sempre aprimorando a excelência de sua performance, a Orquestra diversificou sua atuação em óperas, balés, concertos, apresentações ao ar livre, na capital e no interior, executando um repertório que abrange todos os períodos da música sinfônica, do barroco ao contemporâneo. Coral Lírico O Coral Lírico de Minas Gerais comemora em 2009, três décadas de atividades ininterruptas é um dos raros corais profissionais do Brasil. Atualmente, o coral é regido pelo maestro Afrânio Lacerda e apresenta concertos que variam da música renascentista até óperas, operetas, oratórios e concertos sinfônicos-corais. O Coral Lírico de Minas Gerais prima pela versatilidade de seu repertório, que inclui desde a música renascentista até óperas, operetas, oratórios, concertos sinfônico-corais e a capella. Atua, frequentemente, ao lado das Orquestras Sinfônica e Filarmônica de Minas Gerais. Serviço Evento: Villa-Lobos: Choros, com Cia de Dança Palácio das Artes, Orquestra Sinfônica e Coral Lírico de Minas Gerais Local: Grande Teatro do Palácio das Artes (avenida Afonso Pena, 1537, Centro) Data / Horário: 21, 22, 23 (quinta, sexta e sábado): às 20h30 24 (domingo): às 19h Valor: Platéia I e II: R$ 15,00 / Platéia superior: R$ 10,00 (meia-entrada conforme a lei) Informação: (31)3236-7400 www.palaciodasartes.com.br

Entrevista do governador Aécio Neves, do líder do PR na Câmara, Sandro Mabel e do presidente nacional do PR, Sérgio Tamer

Aécio Neves

Quero dizer em primeiro lugar da minha alegria de estar recebendo aqui hoje a direção e grande parte da bancada do Partido da República. O PR é um aliado desde o primeiro instante do primeiro momento do nosso governo em Minas Gerais, tem nos ajudado a construir esse novo modelo de gestão em Minas Gerais, e vem aqui de forma muito generosa com o seu presidente Sérgio (Tamer), seu líder, Sandro Mabel, seus deputados de vários estados brasileiros, o seu presidente local, o companheiro Clésio, enfim, um gesto de muita generosidade, de reconhecimento a Minas, de reconhecimento ao trabalho conjunto que nós estamos fazendo aqui, e acho que é mais próprio nesse instante, ouvir o presidente do partido, o líder da bancada na Câmara, que podem talvez com mais fidelidade falar da razão da visita.
Mas eu quero dizer que estou extremamente feliz com o gesto de generosidade do Partido da República de estar aqui conversando sobre o futuro. E na verdade, nos estimulando a uma caminhada.

Governador, o senhor podia antes falar com a gente, tem ou não tem acordo?
Na verdade, eu não sabia que eu estava gerando tantas preocupações em tantas pessoas, para uma invencionice dessa. Se há algum acordo, esqueceram de me avisar. Lamento até que o jornalista não tenha tido o cuidado de pelo menos buscar ouvir a outra parte.
Não existe absolutamente nada nessa direção, e vou além: acho que qualquer negociação ou qualquer construção de uma chapa de um só partido, qualquer que seja esse partido, ela não tem eficácia eleitoral e acho que ela tem uma grande dose de presunção. Acho que não faz bem ao PSDB. Não há hipótese de isso ocorrer. O PSDB, no momento em que definir o seu candidato, ele deve buscar aliados e construir com aliados a chapa e o programa de governo. Portanto, isso é uma invencionice; na verdade, uma grande piada.

De onde surgiu isso? É pressão dos tucanos paulistas, governador?
Não sei de quem, mas acho que é desinformação. Se alguém tem algum interesse de plantar isso, essa pessoa é que tem que responder. Eu recebo essa notícia como uma grande piada.

O senhor tem um encontro hoje com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso?
Tenho, ele está vindo fazer uma palestra aqui e vai pernoitar aqui, vai dormir aqui hoje.


Sandro Mabel

Essa visita nossa ao governador Aécio Neves é que no Partido da República, que nós também chamados de PR, “partido de resultados”, nós entendemos que o Brasil não pode ficar numa disputa democrática como vai se ter na Presidência da República, privado de se votar num líder que nem o Aécio, que nós entendemos ser uma pessoa que fez uma gestão importante no Estado.
O nosso presidente em Minas, o Clésio Andrade, foi vice-governador na sua primeira gestão, o ajudou, e a bancada mineira tem sempre comentado o trabalho que é feito em Minas. Nós também conhecemos isso olhando pela imprensa e conhecemos um pouco mais profundamente pelos relatos que a bancada faz. Por isso, o Partido da República, através dos 23 deputados que vieram aqui hoje, da nossa bancada, nosso senador, nosso presidente do partido, e nosso presidente aqui de Minas, nós entendemos que o Aécio, em algum momento, se ele achar importante disputar uma eleição, e achar que no PSDB não existe espaço para isso, nós achamos que a democracia precisa construir esse espaço, e o PR vem exatamente convidá-lo ou deixar as portas abertas, se ele quiser exercer essa democracia, dando oportunidade de os brasileiros conhecê-lo, e também votar nele, o nosso partido está à disposição para que ele possa amanhã vir a ser candidato ou disputar uma eleição pelo nosso partido. Logicamente é uma visão, que eu volto a dizer, de um partido que tem a visão de desenvolvimento, e que é a marca do Aécio também. É um partido que tem uma visão progressista e por isso também a marca do Aécio.
Então nós temos aí essa conjugação, e a bancada mineira dentro do nosso partido tem um peso muito grande. Então, meu governador, tenha a certeza de que o Partido da República está com as portas abertas, à disposição da democracia, para o Brasil poder conhecê-lo melhor e quem sabe o senhor ser o nosso presidente da República.

Então não vai ser por falta de partido que ele não vai ser candidato?
Eu acredito que não, até porque eu penso que não é só o PR que gostaria de tê-lo como candidato. Mas o PR é um partido que também está se colocando a essa disposição, por essa identidade que nós temos de trabalho.


Sérgio Tamer – Presidente nacional do PR

Sobre a reunião.
Estamos aqui com o governador Aécio Neves para dizer que a agenda nacional que ele está construindo é um fato nacional muito positivo na política brasileira e estamos nos integrando a esta agenda, em função da pontuação dos assuntos que estão sendo colocados e que estamos juntos nesta caminhada na construção dessa agenda nacional.

Quais são os pontos principais dessa agenda que o PR quer construir?
Nós entendemos que a modernização social do Brasil é muito importante neste momento e estamos então fazendo essa caminhada em direção ao futuro para que a modernização social do Brasil seja num futuro próximo uma realidade.

Isso significa que entre Aécio e Serra, o PR fica com o Aécio?
Isso significa que estamos construindo essa agenda, nos colocando à disposição do governador Aécio na construção dessa agenda nacional e dizer que esta caminhada é muito importante para a política brasileira.


Aécio Neves

O senhor pode mudar de partido?
Como eu disse inicialmente, é um gesto de muita generosidade, que eu recebo com minha alegria. Tenho muitos amigos no Partido da República, companheiros no Congresso Nacional e acho que é talvez o resultado de uma trajetória, uma trajetória que não se iniciou agora, e vejo muita convergência de pontos de vistas, falamos da refundação da federação, de políticas de desenvolvimento regional, um passo além dos programas de transferência renda. São ideias que percebemos aqui que são também do Partido da República.
É muito mais fácil você construir um projeto com pessoas que pensam as mesmas coisas e que têm as mesmas prioridades. Obviamente, tenho que estar avaliando todas essas colocações, mas é um estímulo muito grande. O que eu posso dizer é que essa visita muito representativa, com mais de vinte parlamentares de vários estados brasileiros, é um grande estímulo.
Continuarei fazendo o que tenho feito, discutindo projetos para o país e vou deixar as invencionices, as plantações para os outros. Eu vou continuar trabalhando como tenho feito até aqui e, no momento certo, vamos tomar a decisão.

O senhor entregou o PPAG para a Assembleia Legislativa com uma projeção de crescimento para o ano que vem de 3,5%. Com o que vocês estão trabalhando?
Tenho expectativa de que vamos, já a partir do segundo semestre, portanto do terceiro trimestre deste ano, iniciar uma recuperação no crescimento. Neste ano, talvez o crescimento não exista, em razão do decréscimo que tivemos na atividade econômica no primeiro trimestre principalmente, mas também impactando no segundo. É uma expectativa que estamos fazendo, com base na retomada de encomendas em determinados setores da economia, como a siderurgia, por exemplo, como o setor automotivo e há claro um pouco de expectativa de recuperação de outros setores. Acho que é um dado razoável e analistas do próprio Banco Central trabalham mais ou menos na mesma direção.

O governo tem um balanço dessa retomada?
Acompanhamos a recuperação da arrecadação quase que diariamente. Tivemos um primeiro trimestre muito ruim, mas já no mês de abril há uma pequena retomada. Estamos voltando a arrecadar próximo ao que arrecadávamos no passado. A nossa expectativa é que em maio e junho já superemos nominalmente aquilo que foi arrecadado no mês passado. Claro que aí tem um pouco de torcida também, mas já há alguns indicativos nesta direção, o setor de combustíveis voltou a crescer um pouco, tinha caído muito, bebida voltou a crescer um pouco. Espero que no segundo semestre possamos ter um crescimento que compense, pelo menos, parte dessas perdas que tivemos no primeiro trimestre que foram muito expressivas, cerca de R$ 750 milhões.

Aécio e jovens corretores e investidores na Bolsa de Valores‏


O governador Aécio Neves recebeu nesta segunda-feira (18/05), no Palácio da Liberdade, a direção da Ação Jovem do Mercado Financeiro de Capitais, que reúne jovens que atuam como corretores e investidores na Bolsa de Valores.

O presidente nacional da Ação, Gabriel Cintra, convidou o governador para participar de eventos da Ação Jovem em São Paulo, que promove debates sobre diversos temas como as reformas estruturais e gestão pública, entre outros.

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Em discurso digno de candidato, Aécio Neves diz que país precisa de projeto nacional


RIO - Em um discurso digno de candidato à presidência da República, o governador de Minas Gerais, Aécio Neves - que disputa com o governador de São Paulo, José Serra, a indicação do PSDB para concorrer ao cargo - disse nesta sexta-feira que o país precisa de um grande projeto nacional. Em discurso na Associação Comercial do Rio de Janeiro, Aécio disse que é preciso reconhecer os avanços que o governo de Luiz Inácio Lula da Silva trouxe para o Brasil. Segundo o governador mineiro, faltou, no entanto, vontade política do presidente Lula para ir além e fazer reformas importantes, como a tributária.
- Não se deve negar a realidade. Eu reconheço os avanços - disse Aécio, observando, no entanto, que a implementação de programas sociais no país começaram ainda no governo Fernando Henrique.
" Para fazer as reformas faltou vontade política. Ou você faz as reformas no início do governo ou não faz mais "
- Para fazer as reformas faltou vontade política. Ou você faz as reformas no início do governo ou não faz mais.
O governador também chamou atenção para problemas como o aquecimento global, a fome e a crise financeira mundial. Aécio falou do orgulho que sente pelo PSDB ter formado uma rede social no país com iniciativas como o bolsa escola e o saúde da família, criado por Serra, ex-ministro da Saúde, a quem elogiou.
Aécio fez ainda um balanço dos indicadores positivos conquistados por seu governo em áreas como saúde e educação. E terminou seu discurso citando Guimarães Rosa:
- O importante não é a partida ou a chegada, mas a caminhada.

Fonte: O Globo - 15/05/2009 - 17h23Link: http://oglobo.globo.com/pais/mat/2009/05/15/em-discurso-digno-de-candidato-aecio-neves-diz-que-pais-precisa-de-projeto-nacional-755882479.asp

Aécio Neves saúda o povo e pede passagem


Homenageado em almoço na Associação Comercial do Rio de Janeiro nesta sexta-feira, o governador Aécio Neves mostrou que está pronto e afiadinho para o voo mais alto de sua carreira: a candidatura à presidência da República.
Mineiro dos mais cariocas que existem, Aécio gosta da cidade e de seu povo. E é retribuído. É daqueles políticos que vai ao Sambódromo no carnaval (dos mais duros testes de popularidade no Rio) e é aplaudido.
Depois de dois mandatos à frente do governo de Minas Gerais, ambos com índices estratosféricos de popularidade, o governador mostrou-se um político maduro, com projetos e visão de futuro para o país.
As propostas de Aécio, explicitadas no discurso de hoje, jogam a discussão política para um patamar qualitativamente superior ao mantido até então.
Supera a conversa "Lula ou anti-Lula" ou mesmo "pós-Lula". Supera também o debate rasteiro do "eu roubei, mas você roubou mais" ou ainda o "toma-lá-dá-cá" de cargos, emendas parlamentares, farra de passagens e cartões corporativos.
Aécio fez discurso de gente grande. Profissão de fé no potencial do país.
Resumidamente, baseou suas propostas em cinco grandes linhas:
1. propostas arrojadas para o meio ambiente, com adoção de energias alternativas, trato da água e um esforço pelo desenvolvimento sustentado;
2. defesa corajosa da federação, da descentralização administrativa, de receitas, de direitos e de atribuições. Necessidade de maior parceria e partilha com estados e municípios. Propõe forte desconcentração de poderes e de receitas, que hoje se concentram na União, para serem destinadas a estados e municípios;
3. fortalecimento das políticas e programas sociais, que vêm avançando desde o primeiro mandato de Fernando Henrique, com o Bolsa-Escola, o vale-gás, o Saúde da Família, o Comunidade Solidária e a consolidação no Bolsa-Família. Segundo Aécio, são caminhos sem volta. A necessidade de distribuir melhor a renda assim o exige.
4. gestão eficiente e ética da máquina pública, superando o dilema entre Estado Mínimo e Estado Máximo. O importante, segundo o governador, é o Estado eficiente, que seja competentemente gerido e que sirva ao cidadão;
5. importância das reformas para que o país possa avançar: previdenciária e tributária, que não terminaram, além da trabalhista e da reforma política, que sequer foram discutidas.
Aplaudidíssimo, carismático, simpático como o quê, o governador não se escondeu atrás das glórias passadas de Minas Gerais. Muito ao contrário, fez de Minas um patamar a partir do qual lançou seus olhos para o futuro do Brasil.
Gostem ou não seus opositores, fora e dentro do PSDB, Aécio Neves veio com tudo.
O governador não está de brincadeira. Fez discurso de candidato a presidente da República.
Vai dar trabalho.